Amo Cachorros

Tudo sobre cães e o universo canino

Meu AmiCÃO: Reinaldo, “Nina e Filó”

22 de abril de 2011  •  Meu AmiCÃO

Hoje a participação é super especial, conheci o Reinaldo através do Facebook e o convidei a participar da seção "Meu AmiCÃO". Ele topou e enviou a sua história tão organizada, que vou publicar exatamente como recebi! ;)

Reinaldo, obrigada pela participação e pelo carinho! Lambeijokas na Nina e Filó! ;)

Meu AmiCÃO

Reinaldo, Nina e Filó

Reinaldo Luz Santos é publicitário, empresário e criador da iniciativa “É bom ser do bem”. Tem duas vira-latas, com quem tem muitas histórias, e já um fã do site “AmoCachorros.com.br”. E isso é verdade, ele realmente ama cachorros!

Raças e Idades

Nina: mistura de pastor com vira-lata. 7 anos.
Filó:   Vira-lata legítima. 1 ano.

Como elas entraram em minha vida

Nina eu herdei. Ela era da minha namorada, mas quando casamos ganhei de brinde uma filhinha, a Nina!

Meu AmiCÃOMeu AmiCÃO
Nina

Filó é uma história a parte, cheia de tristeza no começo, mas com um final feliz.
Em novembro de 2010 estávamos voltando pra casa, pela rodovia Fernão Dias, e avistei de longe uma cadelinha que tinha acabado de ser atropelada e estava jogada no canto da estrada. Era a Filó. O atropelador, irresponsável, fugiu.

A princípio eu pensei em parar apenas pra colocar ela no canto, pois pensei que estivesse morta. Ela estava sangrando muito, com as duas pernas quebradas, “literalmente” estraçalhadas. Mas quando paramos o carro e chegamos perto, ela estava com os olhos abertos, estática, em choque, mas respirando.

Não pensamos duas vezes, pegamos ela e levamos a um veterinário. O primeiro veterinário que levamos disse que ela não iria sobreviver, sugeriu que sacrificássemos, mas nós pedimos que ele a reanimasse pra que nós pudéssemos cuidar dela. E foi o que fizemos desde então.

Meu AmiCÃOMeu AmiCÃO
Filó e a sua patinha ferida

O que elas mudaram em nossas vidas

Alguns meses se passaram. A Filó sofreu bastante, demorou horas pra voltar do choque, demorou dias pra parar de chorar de dor, demorou meses pra começar a andar. Ela operou de uma das pernas e a outra não tinha o que fazermos. Então nós esperamos pra amputar. Mas tamanha foi a nossa paciência e fé que a perninha desenganada se curou sozinha. Atualmente ela está muito bem, começou a andar a pouco tempo e, mesmo tortinha (especial) está feliz e nos deixando muito feliz também!

Minha mãe guerreira, Dona Virgínia, foi quem cuidou da Filó, fazendo curativos da cirurgia, dando comida na boca e muito mais. Minha sobrinha Stephanie também se contagiou e se mostrou incrivelmente responsável ajudando todos os dias nos curativos.

A Nina não fica pra traz em nossas vidas. Ela bagunça nossas vidas todos os dias quando se mostra um doce de cadela. Ela é o tipo de cachorra que dá medo de ver de longe, pelo tamanho, mas quando chegamos perto e vemos o olhar dela logo se percebe que ela é mansa de tudo! Ela só tem tamanho, mas é incrivelmente carinhosa!

Qual a importância delas em nossas vidas

A Filó, ao meu ver, deu um motivo para minha mãe sorrir. A cada melhora dela minha mãe se animava e comemorava. Quando ela começou a andar então, todos nós ficamos espantados (Video: http://migre.me/40jFE). Com certeza a Filó ela nos ensinou muito, ela nos uniu e nos fez entender que vale a pena acreditar na vida!

Meu AmiCÃOMeu AmiCÃO
Filó se recuperando

A Nina, com todo seu carinho e meiguice, nos lembra todos os dias de algo que acredito muito, “o poder da gentileza”. Ela nos derruba cada vez que joga pra nós aquele olhar de coitadinha, como dizemos, como se estivesse dizendo “só quero carinho, nada mais!”.

Manias, brincadeiras e coisas engraçadas

Uma coisa engraçada sobre a Nina é a mania dela de deitar de barriga pra cima pra ganhar carinho. Primeiro que ela é grandona, ela vem nos receber com uma festa só quando chegamos. Ai de repente ela começa a roda e se joga no chão. Se joga mesmo, as vezes faz até barulho. E lá fica ela com a barriga pra cima, com aquele olhar de coitadinha, pedindo carinho!

Meu AmiCÃOMeu AmiCÃO
Nina toda fofa

O mico fica pra mim quando tento fazer graça com ela para os amigos. Já a algum tempo estou ensinando ela a sentar e dar a pata. E ela está aprendendo, está super obediente. Mas quando chega visita lá vou eu mostra para os amigos o que ensinei a ela. E claro, adivinhem, ela só senta e dá a pata quando ninguém está olhando! Quando tem visita, ela faz o que melhor sabe fazer, cai no chão de barriga pro alto pedindo carinho!!! E eu... só me resta ficar com cara de bobo!

Já a Filó nos encanta com seus uivos. Agora ela já está latindo, mas nas primeiras semanas a gente ficava brincando com ela, provocando quando chegávamos e ela nos recebia com alegria, tentando balançar o rabo e tentando latir. Só que, talvez pela dor, ela não conseguia latir, só uivar! Agora imaginem a gente fazendo festa, chamando de bonitinha, batendo palmas e ela acompanhando, uivando, quase parecendo falar. Não dá pra explicar, devíamos ter gravado, mas era demais!!!

Ah, tem outra coisa interessante sobre mim e os cachorros! Eu amo muito os cães, muito mesmo! Não posso ver um cachorro  na rua que quero passar a mão, dar um carinho, comida se eu tiver. Isso começou aos poucos, um dia vi um cachorro na rua e pedi pra um amigo fazer uma foto. Agora, nas viagens, sempre que paro pra acarinhar um cachorro na rua vem um amigo e faz uma foto. Resultado, hoje tenho uma coleção de umas 200 fotos com cachorros desconhecidos ou de rua!

Meu AmiCÃOMeu AmiCÃO
Reinaldo, "Nina e Filó"

Enfim, cachorros são tudo de bom. Eu sou da teoria que todas as crianças deviam ganhar vira-latas pra cuidar. Assim eles aprenderiam a ser responsáveis e ao mesmo tempo (e mais importante) aprenderiam desde cedo o valor do amor pelos animais, pelos bichos e pelo próximo!

A seção "Meu AmiCÃO" é publicada toda semana e serve para compartilhar as histórias de leitores e seus amiCÃES. ;) Caso você queira participar, entre em contato através do e-mail: priscila@amocachorros.com.br com o título: "Meu AmiCÃO"